Escolha uma Página

Quando separados da mãe muito pequenos, os filhotes precisam de cuidado redobrado dos tutores

Sempre que alguém adota um filhote abandonado e separado da mãe muito cedo, fica a dúvida: o que fazer?

Os filhotinhos pequenos são muito dependentes da mãe e por isso o ideal é conseguir um lar para eles que possam ter uma mãe gatinha adotiva. 

Entre os animais é comum uma mãe que deu à luz adotar outros filhotes que não são seus, até mesmo de outras raças. Por isso, levar o gatinho abandonado a uma lar que já tenha uma gatinha que possa ser sua mãe é a melhor solução.

Cuidados da mãe

As lambidas da gata que ajudam o filhote a defecar e urinar nos primeiros dias, sabia? Os movimentos que ela faz lambendo os bebês estimulam todo o metabolismo deles para que o corpo comece a funcionar. Isso sem falar no leite e no aquecimento do corpo. 

Mas, se isso não for possível, é importante o tutor tentar “imitar” o que a gata mãe faz, para garantir a saúde desse gatinho. 

Gatinho resgatada

É o que estamos fazendo com um gatinho de poucos dias resgatada que a Nancy Rodrigues.

Aquecemos o local que ela fica com água morta dentro de luvas de procedimento profissionais, demos o leite na seringa pequena e simulamos os movimentos das lambidas da mãe para que o intestino e a bexiga funcionem. 

“Essas atitudes vão determinar a qualidade de vida do gatinho nos próximos dias e anos da vida dele. São muito importantes”, explica a veterinária responsável pela Clínica We Love Cat, Dra. Clarissa Dosualdo.

Gatinhos que são separados da mãe muito pequenos normalmente são mais ariscos. Por isso, se ele não tiver uma mãe adotiva, é importante ser adotado por tutores que já tenham outros gatos!

Siga a We Love Cat no Instagram!

WhatsApp Fale conosco no WhatsApp