Atender às necessidades do gatinho pode melhorar saúde e qualidade de vida deles

Quem tem gato sabe: eles têm necessidades diferentes e atender a elas dentro de casa é essencial para garantir uma qualidade de vida a eles. Garantir um ambiente confortável para seu gato pode evitar inclusive doenças que começam com o estresse, por exemplo. 

Mas, o que pode ser estressante para o gato? Os felinos não costumam demonstrar sinais óbvios de estresse, dor ou doenças. Por isso, é importante ser proativo e observar pequenos sinais, por exemplo. Entender as necessidades de comportamento deles e preparar o ambiente pode diminuir o estresse. 

O que precisamos saber sobre os felinos:

  • Os gatos são, historicamente, caçadores solitários. Eles passam muito tempo do dia procurando um ambiente com oportunidade para a caça e se preocupam muito com a proteção de perigos;
  • Os felinos são animais territoriais. Isso significa que eles se sentem ameaçados quando seu ambiente é perturbado – seja por outro animal ou fisicamente com mudanças inesperadas;
  • Odor, postura e vocalizações são formas utilizadas pelos gatos para comunicar sua infelicidade caso se sintam ameaçados;
  • Audição e olfato dos felinos são apurados. Isso significa que odores e barulhos fortes podem estressá-los bastante;
  • Os gatinhos são sociáveis, mas de forma diferente da nossa. Eles podem ficar satisfeitos sozinhos ou com outros gatos – principalmente irmãos. 

Prepare um ambiente confortável

Proporcione um ambiente seguro

Os gatos gostam de se sentir protegidos, então pense nisso ao organizar o ambiente deles. O felino deve conseguir entrar e sair do local por pelo menos dois lados caso se sinta ameaçado. 

A maioria dos gatos prefere que o espaço seja grande o suficiente para que caiba apenas eles, que tenha laterais e que não esteja no chão. 

Pense em múltiplos e separados recursos ambientais

Esses recursos incluem comida, água, área para fazer xixi e cocô, arranhar, brincar e descansar. Lembre-se de deixar esses recursos separados! A distância entre eles diminui o risco de competição (em relação a outro gato ou animal), o estresse e doenças relacionadas. 

Proporcione oportunidades para brincar e exercer comportamento predatório

Os gatos foram domesticados, mas a necessidade natural de caçar deles precisa ser respeitada. Por isso é tão importante pensar no uso de brinquedos para ele exercer seu comportamento predatório. 

O gato pode ser estimulado a partir de brinquedos interativos que imitam presas – como um rato de brinquedo que é empurrado pela sala ou penas em uma vara que é sacudida no ar. 

Mas lembre-se: o gato precisa ser capaz de capturar a presa, mesmo que momentaneamente. Isso vai evitar frustrações. 

Pense em interações sociais positivas, consistentes e previsíveis com humanos

As preferências individuais dos gatos determinam o quanto eles gostam de interagir com os humanos. É preciso cuidado até identificar o quanto eles gostam de carícias, escovação, brincadeiras e conversas, por exemplo. 

A socialização quando filhote pode determina, por exemplo, se ele vai gostar ou não de ser pego e colocado no colo de alguém. Mas, respeite a preferência do seu gato – avise os convidados e familiares para não forçar nenhuma interação. 

Respeite a importância do olfato do gato

Os gatos espalham seu cheiro ao esfregar corpo e rosto nos locais. É dessa forma que eles espalham feromônios naturais e estabelecem barreiras para se sentirem protegidos e seguros. 

Evite limpar essas áreas, especialmente durante a introdução de um gato novo a um ambiente desconhecido por ele. 

O uso de sintéticos faciais de feromômio, como Feliway, podem imitar o cheiro natural e proporcionar um efeito calmante no gato. 

De forma contrária, cheiros ameaçadores ou a incapacidade de deixar o odor próprio pode levar os gatos a comportamentos problemáticos como urinar ou defecar fora da caixa e arranhar áreas inapropriadas. 

WhatsApp Fale conosco no WhatsApp