Doença perigosa para gatos é comum no Brasil e traz muitos riscos para os animais

Enquanto em países de primeiro mundo a Leucemia Viral Felina (Felv) está sendo eliminada gradativamente, no Brasil aumentam a cada dia os casos da doença. Preocupante por não ter sintomas logo que o gato é contaminado pelo vírus, a Felv pode levar os gatinhos até a morte por abrir caminho para várias outras doenças. 

Como o próprio nome diz, a doença é causada por um vírus. Ele é transmitido por saliva ou sangue do gato – quando um gatinho lambe o outro, briga, faz transfusão de sangue, cruza para reprodução e até mesmo de mãe para filho no parto ou quando o felino toma o leite materno. 

Há casos de transmissão também em comedouros e bebedouros, mas são mais raros. Isso acontece porque o vírus sobrevive pouco tempo fora do hospedeiro.

Manifestação da doença

Normalmente o vírus vai se manifestar no gato quando ele atinge a idade de 2 a 5 anos. Durante esse tempo ele não apresenta sintomas e, se não fizer um exame, provavelmente não saberá que foi infectado pelo vírus. 

“Por não apresentar nenhum sinal clínico, é difícil para tutores e veterinários identificarem que o gatinho possui a doença. Por isso a importância de fazer o teste rápido e checkups constantes, rotineiros”, alerta a veterinária responsável pela Clínica We Love Cat, Clarissa Dosualdo. 

O cuidado deve ser redobrado principalmente para gatos que têm acesso à rua e contato constante com outros gatos. Sem saber que está contaminado, os felinos disseminam por onde vão a doença.

Riscos da leucemia viral felina

Quando começa a se manifestar, o vírus traz vários riscos à saúde do gato. 

  • Promove a neoplasia – câncer
    O vírus vai fazer com que o gato desenvolva o câncer. O mais comum é o linfoma, que é extremamente agressivo.
  • Queda da imunidade do gato
    A redução da imunidade deixa o felino predisposto a infecções secundárias de bactérias e fungos, por exemplo. Além de deixar o caminho aberto para essas infecções e outras doenças, o vírus também dificulta o tratamento. Os gatinhos com Leucemia Viral Felina têm muita dificuldade de reagir às outras doenças.
  • Anemia severa
    O vírus atinge a medula óssea do gatinho. É na medula que são produzidas nossas células vermelhas e brancas.
  • Emagrecimento progressivo
    Os gatos com a Leucemia Viral Felina perdem o apetite e vão emagrecendo gradativamente. Muitos chegam a uma anorexia grave.
  • Febre constante
  • Pelagem fraca
    A pelagem do gato fica “feia”, com a aparência ruim.

Como lidar com a doença

O diagnóstico da Leucemia Viral Felina é feito na clínica veterinária, através de um teste rápido com o sangue coletado do felino. O resultado leva em média 15 minutos.

“O teste é imprescindível em todos os gatos desde a primeira consulta veterinária. Ele é eficaz e precisa ser feito sempre”, explica Clarissa. 

Infelizmente não é possível tratar a Felv. O tratamento é paliativo para sintomas e outras doenças e infecções secundárias. 

Prevenção

“Quando falamos de Leucemia Viral Felina o mais importante é a prevenção. Essa doença silenciosa já tem vacina e os gatinhos que têm acesso à rua precisam ser vacinados para evitar tantos problemas depois”, alerta a veterinária Clarissa Dosualdo. 

Segundo ela, o ideal é que os gatinhos sejam mantidos dentro de casa para não ter contato com a doença na rua. 

WhatsApp Fale conosco no WhatsApp