Conheça os cuidados com a lipidose hepática, doença comum em felinos 

Quem tem gato sabe: é preciso tomar muito cuidado com a alimentação e ficar sempre de olho se ele parar de comer. A perda de apetite dos gatos pode levar a uma doença comum – a lipidose hepática. 

Entre as doenças relacionadas ao fígado dos gatinhos, essa é a mais recorrente. Ela é o acúmulo de gordura nas células do fígado quando, por algum motivo, ele para de comer. 

Além de ficarem muito magros, os gatinhos com lipidose hepática também ficam com a mucosa amarelada, têm aumento do fígado, vômitos e depressão. 

O cuidado rápido é essencial para garantir a saúde dos bichinhos e evitar que eles piorem o estado. 

Cuidados

Quem tem gato precisa ficar sempre muito atento ao jejum prolongado. Normalmente a lipidose hepática começa com jejuns de três dias ou mais. 

Nesse momento, o número de lipídios que se movimentam em direção ao fígado se torna superior ao número de lipídios que deixam o fígado, ocorrendo o acúmulo dessa gordura. 

As funções do órgão são prejudicas com esse quadro. E o fígado é essencial para o bom funcionamento do corpo. É ele que transforma substâncias que precisam ser eliminadas do nosso corpo, por exemplo. 

A alimentação é fundamental para o tratamento dos felinos com lipidose. Reintroduzir a comida, gradualmente, aumentará ainda mais as chances de cura do felino. 

Porém, muitas vezes, a reintrodução necessita do apoio de uma sonda alimentar – existem casos em que o gato precisa de internação em uma clínica para que seja acompanhado de perto a evolução do quadro.

Caso de sucesso

Aqui na Clínica We Love Cat nós tivemos um caso de lipidose hepática. O gatinho Noah chegou muito magro e fraco. Assim que foi identificado que ele estava com a doença começou a ser tratado e, uma semana depois, já começou a se alimentar novamente. 

Confira o vídeo do Noah comendo sem ajuda.

A veterinária responsável pela Clínica We Love Cat, Clarissa Dosualdo, explica que a lipidose hepática pode ser prevenida principalmente prevenindo a anorexia. 

“Há casos de estresse que levam à perda e apetite e, consequentemente, anorexia. Isso pode ocorrer quando chega um novo animal de estimação em casa, chega uma nova pessoa, ou então o gatinho muda de casa. Há casos de estresse também quando os tutores viajam e os gatinhos ficam sozinhos”, explica. 

WhatsApp Fale conosco no WhatsApp